5 super dicas para prevenir acidentes de trabalho

Neste post, você verá:

Agora, se você já sabe a importância da cultura da segurança na sua empresa, e está apenas buscando a solução tecnológica ideal para iniciar estes processos na sua empresa, nós selecionamos um ebook completo e gratuito sobre como escolher o melhor software para Medicina e Segurança do Trabalho. Para baixá-lo, basta clicar no link a seguir.

5 super dicas para prevenir acidentes de trabalho

Mas, se você ainda tem alguma dúvida sobre o assunto, vamos ao conteúdo!

5 super dicas para prevenir acidentes de trabalho

Conquistar um ambiente de trabalho mais seguro e com menos acidentes não é algo que acontece, assim, da noite para o dia: mais do que uma questão prática, a adoção de um comportamento mais seguro é algo que deve ser incorporado à cultura da empresa, e, como toda mudança, precisa de tempo, paciência, dedicação e ações corretas para começar a dar os primeiros resultados. Você sabe dizer em que estágio desse processo sua empresa está?

Uma cultura de segurança existe quando a empresa inspira seus funcionários a mudar o comportamento e fazer escolhas seguras por conta própria, por isso, é vista como uma estratégia de prevenção de acidentes sustentável e com grande custo-benefício. Confira abaixo cinco super dicas para começar a implantar essa cultura de prevenção entre seus colaboradores:

#1 Uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e Coletiva (EPCs)

Equipamentos de proteção são dispositivos utilizados pelo trabalhador (EPI) ou equipes (EPC) para protegê-los de riscos à saúde e segurança enquanto desenvolvem suas atividades profissionais. Você sabia que a falta deles é uma das principais causas de acidentes no trabalho, muitos vezes resultando até em mortes? Por isso, forneça EPIs e EPCs de qualidade e adequados à carga de trabalho dos colaboradores e conscientize-os sobre a importância do uso. Saiba como aqui!

#2 Atenção extra aos trabalhos nas alturas

O trabalho em altura é responsável por 40% dos acidentes no trabalho no Brasil. Não à toa, foi criada a Norma Regulamentadora 35, que estabelece requisitos mínimos e medidas de proteção para os serviços desenvolvidos em altura. A norma é aplicável em todos os segmentos que realizam atividades acima de dois metros do nível inferior e apresentam risco de queda. Sua empresa faz parte desse grupo? Se sim, procure encarar essas orientações como um guia para garantir mais proteção aos colaboradores, e não como apenas mais uma norma a ser seguida.

#3 Divulgação de riscos e formas de prevenção

Os trabalhadores precisam conhecer os riscos aos quais estão submetidos nas atividades que forem realizar. Essas informações podem ser repassadas por meio de treinamentos e capacitações periódicos, bem como medidas de precaução e procedimentos que devem ser executados em situações de emergência. A empresa pode realizar simulações e fiscalizações para estimular o comportamento seguro, corrigir práticas e reforçar a cultura da prevenção.

#4 Ambiente organizado com sinalização e instruções claras

As máquinas e equipamentos devem apresentar instruções de uso claras e acessíveis, como manuais POP (Procedimento Operacional Padrão). Riscos devem ser identificados por meio de placas – como choques, queda de materiais e explosões – e EPCs devem ser sinalizados e localizados em regiões de fácil acesso. O ambiente interno deve estar sempre organizado, iluminado, limpo e com a pintura de faixas delimitadoras em dia, para evitar acidentes decorrentes da perda de formulários de instruções e da invasão de áreas restritas, por exemplo.

#5 Use a tecnologia a seu favor

Uma solução tecnológica é capaz de registrar o histórico de saúde dos colaboradores e controlar as datas dos próximos exames obrigatórios, por exemplo, garantindo que estejam sempre aptos para a realização das atividades. Também aponta o momento de reposição de EPIs e EPCs, assegurando a disponibilidade dos equipamentos de proteção, e controla a situação da higiene dos ambientes e da manutenção das máquinas. Automatizando esse controle, sobra mais tempo para a empresa traçar novas estratégias para evitar acidentes e oferecer um local de trabalho cada vez mais seguro, contribuindo também com o desenvolvimento do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA).

Conforme você conseguiu perceber nessas dicas, criar um ambiente de trabalho seguro depende de todos e conscientização, organização e disciplina são palavras-chave nesse processo.

As ações da empresa precisam ser orientadas no sentido de fazer o funcionário enxergar valor e importância na causa para mudar seu comportamento, dessa forma, haverá ganhos em segurança e também em resultados, já que a sensação de proteção está diretamente ligada à produtividade.

Solicite uma demonstração gratuita

Scroll Up